Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Histórias de Vida

Escrevam para catarinaportela86@gmail.com e conte sua a história da sua vida.

Histórias de Vida

Escrevam para catarinaportela86@gmail.com e conte sua a história da sua vida.

Sobreviver :(

 

A vida é um dom, que nasce naquele grito sufocado, de quem procura respirar. A vida é uma dádiva, que começa quando vemos pela primeira vez a Luz. A vida é uma constante alteração de percurso, onde a maior parte das vezes somos somente peões. Meros objectos sem vontade própria, que aceitam, através de um impulso, cumprirem os passos que outros teimaram em criar por Nós. O destino, o obstáculo, os problemas, as desilusões, as surpresas, tudo isto faz com que os nossos projectos sejam somente, improváveis…

 

 

 

Isto não significa que a vida termina. A vida vai perdendo, é aquela cor viva que nos recebeu ao nascer. Deixam de se ouvir as músicas de criança cheias de esperança e de sonhos. Tarde percebemos que aquele caminho por nós pintado, não será daquela forma constante, linear, fácil e rápida. Os cavaleiros perdem-se no meio do nosso amor, os castelos são pequenos e apertados, e a um dia de sorte, segue-se uma semana de rotina, seguido de uma tragédia que é relembrada, anos e anos (talvez até para todo o sempre).

 

 

 

Dar valor a tudo isto? Tudo isto, que é uma mão cheia de nada. Um coração apertado, um nó na garganta, uma lágrima derramada por entre a noite, um pensamento constante no dia de amanhã, um movimento rítmico sufocante de um relógio que não pára!

 

 

 

Pára!!! Pára!!!

 

 

 

Mas o tempo não deixou parar, e a força, terminou. O tédio chegou, mas foi-se rapidamente embora, e a memória invadiu-me a mente. E pensei em ti, nos meus, nos outros, pensei em quem vi hoje, em quem não queria ver. Pensei que hoje seria o último dia. Pensei na Paz que podia nascer de um dia, sem amanhã.

 

 

 

Eu não tive forças, e fiquei aqui mesmo. Aprendi a amar, não as desilusões, ou as quedas, ou os infortúnios. Aprendi a amar o dia em que sobrevivi, o dia em que me deitei, mas amo mais ainda o dia em que me levanto.

 

 

 

 

 

O povo diz, que “para morrer basta estar vivo”. Eu arrisco em dizer, que para viver, devemos aprender a sobreviver…

 

Sobreviver sim, pois de fácil nada tem, mas tem uma magia especial, que não se explica, não se escreve, talvez se sinta, mas nem todos os dias…

 

(para ti, que não tiveste coragem para sobreviver. Que outros vivam (ou sobrevivam) por ti!)

 

 

Catarina Portela

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.